Inicio Bahia Mais de 50 cidades estão em situação de emergência por conta da seca na Bahia

Mais de 50 cidades estão em situação de emergência por conta da seca na Bahia

Por urandionline

Na contramão desse cenário, por causa das chuvas, o reservatório do Sobradinho, que fica no norte da Bahia, está operando com mais de 70% da capacidade total.

Cinquenta e três cidades baianas tiveram a situação de emergência declarada por conta da seca. A informação foi divulgada pela Defesa Civil do Estado (Sudec). Na contramão desse cenário, por causa das chuvas, o reservatório do Sobradinho, que fica no norte da Bahia, está operando com mais de 70% da capacidade total.

Conforme o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o reservatório baiano opera com 71,2%, e está à frente do reservatório de Tucurí (65,6%), que fica no Pará, e de Serra da Mesa (34,1%), em Goiás.

A situação no norte é positiva porque choveu de forma significativa esse ano, o que ajudou na produção agrícola em parte do norte baiano e também a aumentar o nível do reservatório.

“Em toda a região norte da Bahia, nós tivemos um índice de chuva bastante significativo. Em alguns locais a chuva dobrou o índice. Não só no norte da Bahia, mas em outras partes da Bahia e no Nordeste brasileiro como um todo”, falou Mário Miranda, meteorologista.

Os dados da Defesa Civil apontam que, de janeiro a agosto de 2019, eram 40 municípios da região norte em situação de seca ou estiagem. Agora, são dez. Um agricultor comentou sobre o bom período.

“Deu muita pastagem para os animais, a gente plantou batata, abóbora, milho, feijão de corda”, disse Givaldo Nascimento, agricultor .

Apesar da situação nesse ponto do estado, outras cidades baianas estão com a situação de seca ou com estiagem declarada. As últimas a entrarem na lista foram Campo Alegre de Lourdes e Tanque Novo.

Conforme o Monitor das Secas, a área seca na Bahia saltou de 75,78%, em 2019, para 77,05% neste ano. A situação foi provocada pelo surgimento de uma área de seca fraca no extremo sul do estado, na divisa com o Espírito Santo.

A previsão é que os impactos sejam de curto prazo no litoral sul, e de longo nas outras áreas.

Mesmo com o índice, os agricultores de Mucuri, cidade do extremo sul, dizem que estão vivendo uma situação atípica após as chuvas. A diferença pode ser explicada por um tipo de distorção, que está sendo corrigida.

“Além dos elementos quantitativos, meteorológicos, vamos colocar validadores regionais, onde, recebendo o resultado desse monitor que valide nas suas determinadas regiões e aquele resultado continua válido, para evitar distorções”, falou Eduardo Topázio, diretor de Recursos Hídricos do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídrico (Inema).

Já em Barrerias, no oeste do estado, a situação é preocupante. No local, há uma grande área de seca. A previsão de chuva é só para a segunda quinzena de outubro.

A seca também preocupa em Vitória da Conquista, que registrou chuva abaixo da média, e está em situação de estiagem, que ocorre desde 2015. Mesmo assim, a agricultura Dvailde Barros, não perde a esperança de tempos melhores.

“Fé em Deus. Sem Deus, não somos ninguém”, falou.

Por:G1

Posts relacionados

Deixe um comentário

Proibido plagiar