Inicio Bahia ADAB intensifica fiscalização contra abate clandestino no sudoeste e extremo sul da Bahia

ADAB intensifica fiscalização contra abate clandestino no sudoeste e extremo sul da Bahia

Por urandionline

Para garantir a segurança alimentar dos baianos, a ADAB (Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia) tem intensificado ações de fiscalização através de blitzes móveis e fixas por todo o estado, resultando em flagrantes situações de desrespeito às leis sanitárias que prezam pela inocuidade dos alimentos. No último final de semana, mais de 5 toneladas de carne foram apreendidas, em função do transporte inadequado, falta de documentação e temperatura dos produtos muito acima do padrão permitido.

No Extremos Sul baiano os fiscais apreenderam quase 2 toneladas de carne bovina em açougues e mercados “Produtos sem inspeção representam grande risco à saúde pública e cada vez mais a sociedade precisa estar vigilante”, frisa o diretor-geral da autarquia, Maurício Bacelar.

Durante os seis dias que a equipe esteve na  região, foram visitados os municípios de Itabela, Guaratinga e Eunápolis. Na última localidade, uma surpresa deixou a equipe otimista. “Ficamos impactados com o que vimos, pois depois de muito rodar pela Bahia chegamos à uma cidade onde não registramos nenhuma ocorrência de carne de origem clandestina. É gratificante percebermos que nosso trabalho de fiscalização apresenta bons resultados”, diz o gerente da ADAB, Ednilton Brito.  

Suporte à Vigilância

Já na região Sudoeste, a ADAB e a Polícia Militar realizaram ação conjunta em apoio à Vigilância Sanitária Municipal de Planalto, Encruzilhada e Itambé, após os municípios e a agência serem provocados pelo Ministério Público. “É grande a preocupação de órgãos sérios, comprometidos com o bem estar da população. As interdições foram realizadas pelas Vigilâncias Sanitárias e a agência colaborou com o suporte necessário no apoio tático para o cumprimeto da determinação do MP”, completa Maurício Bacelar.

Foram apreendidas 4 toneladas de carnes bovina, suína e caprina que, em seguida, foram encaminhadas à graxaria de Itapetinga para destruição.

As blitzes realizadas nas estradas do sudoeste resultaram na identificação de um caminhão de galinhas de descarte sem documentação sanitária e outro veículo com 27 bovinos jovens. “Os condutores não apresentaram a nota fiscal das aves nem a GTA (Guia de Trânsito Animal) dos bovinos que ficam impossibilitados de trafegar pois não há segurança sobre vacinação e procedência dos mesmos”, explica o médico veterinário Delcarlos Martinez. A carga de bovinos retornou à origem e os proprietários foram multados por cada animal transportado ilegalmente. Já as aves foram destinadas ao abate sanitário.

Foram vistoriados diversos estabelecimentos, e detectados produtos com acondicionamento inadequado, sem refrigeração, expostos sem qualquer atenção às leis sanitárias. Na zona rural de Encruzilhada, os fiscais multaram os responsáveis de um mercado por conta da comercialização de medicamentos veterinários sem registro no Conselho Regional de Medicina Veterinária. “Nesse momento, torna-se ainda mais urgente que todos estejam alertas e passem a cumprir rigorosamente os padrões de higiene e cuidados gerais para evitar problemas sanitários maiores”, reforça Martinez, responsável pela equipe da ADAB na operação.

Posts relacionados

Deixe um comentário

Proibido plagiar