Inicio Boca Maldita Caça ao tesouro

Caça ao tesouro

Por urandionline

Fazendo as contas hoje pela manha na redação do Urandi On Line, anotamos 14 nomes de pré-candidatos ao legislativo municipal de Urandi. Gente que nada tem a perder, gente que vai perder, gente que vai disputar para honrar compromisso anteriores, gente que encara a de olho nas próximas eleições, gente que é chiclete de político e quem sabe, até gente disposta a melhorar a cidade. Nenhum deles, porém tem noção do que será encarar tantos problemas, com pouco dinheiro e sem projetos. Mas eleição é como garimpo: e se o caboco bamburrar?   

Covid

Em meio à pandemia do coronavírus, o secretário de saúde, Péricles Thiago, deveria abrir todos os processos de compras para que o legislativo fiscalize e os munícipes tenham conhecimento de cada item adquirido após a decretação do estado de calamidade. Sair atirando em quem cobra transparência nem sempre é a melhor tática. Até porque há enfermidades que destroem muito mais que o Covid 19.

Crise

Nos períodos de maior dificuldade, quando emergem as crises, é que os governantes revelam suas capacidades de liderança e de gestão. A pandemia está expondo a falta de capacidade dos nossos gestores em lidar com situações extremas, para que no dia seguinte possamos superar os traumas, as mortes e a carência pela subsistência. Qualquer previsão do que vai acontecer nos próximos meses é inútil, visto que as probabilidades não possuem elementos de certeza em nenhuma premissa.

Extremos

Tudo é incerto, exceto uma guerra de extremados nas mídias sociais que somente aprofunda a crise e racha a unidade do país. Para piorar a situação, parte das nossas autoridades ajuda a espalhar o vírus do ódio ao invés de unir as pessoas para que possam superar todas as dificuldades. O Brasil, hoje, enterra seus mortos, sem projetar seu futuro, mas, com isso, enterra as esperanças ao reviver um passado que também deixou muitos traumas.

Infectados

Hoje, com o surto do COVID 19 em vários estados dos USA, a disputa eleitoral rumo à Casa Branca entrou em quarentena e o vírus assumiu as manchetes. No Brasil, ao que parece, o vírus da intolerância política disputa todos os espaços com o combate ao COVID 19, infectando, pelas redes sociais, uma parte considerável da população que aproveita esta insana disputa para disseminar mentiras e contaminar incautos. Chegamos a um grau de intolerância tão alto que até recomendação científica é questionada por comentaristas (patifes) de botequim, colocando em risco vidas. Enquanto o resto do mundo, por recomendação médica, receita o isolamento.

Via Direta

Uma tradição esta prejudicada no Brasil, talvez por causa da crise. Os políticos acostumados a achacar empresários e comunicadores habituados a chantagear os políticos estão se dando mal na temporada. Os achacadores que fazem uns “vales” no São João se queixam que as coisas estão difíceis para conseguir o chivas. Conforme as reclamações, os políticos e empresários estão mais cara-de pau. Tempos atrás com qualquer “rabinho” já liberavam alguma coisa, agora nadica de nada. E olha que não faltam lideranças com rabo de palha já que se pratica toda sorte de golpes contra o erário. Desde rachadinhas com funcionários fantasmas, ao superfaturamento do pãozinho da merenda escolar temos práticas que remontam há mais de três décadas na aldeia.

No bico do corvo

Acusada de ser espetaculosa, a Polícia Federal, depois das pressões nos últimos anos no Congresso, age com mais prudência na divulgação de suas operações para evitar retaliações governamentais e por isto optou por não divulgar os nomes dos políticos envolvidos em suas operações. Alguns velhos conhecidos na região do sudoeste baiano já estão no bico do corvo.

Criando asas

Já com nova roupagem e voltando a crescer, para a tristeza daqueles que voduzaram este rotativo, o Urandi On Line tem novidades. Atualmente é o terceiro site jornalístico mais acessado na região. Feito por profissionaisvai se mantendo e atendendo a coletividade urandiense.

Desgastados

2020 ano de renovação dos cargos de prefeitos e vereadores.Em Urandi poucos mandatários do legislativo municipal emplacam a reeleição, conforme recentes sondagens eleitorais. A confiança do eleitorado na classe política tem caído ano após ano.

Baita coalizão

O pré-candidato a prefeito de Urandi, Warley Oliveira, montou uma baita coalizão para enfrentar o pré-candidato a prefeito Zé Humberto. O jovem que é filho de Urandi e ficha limpa vem com os apoios dos senadores Otto Alencar (PSD), Ângelo Coronel (PSD), deputado federal Charles Fernandes (PSD) e da deputada estadual Ivana Bastos (PSD),lideranças políticas locais  e vereadores de oposição ao governo municipal atual.

Posts relacionados

Deixe um comentário

Proibido plagiar