Inicio Entretenimento Carnaval sem registros de crianças perdidas após dois dias de folia

Carnaval sem registros de crianças perdidas após dois dias de folia

Por urandionline

Para evitar incidentes com as crianças durante o Carnaval, a Prefeitura desenvolve trabalhos focados nos foliões mirins. A ação preventiva da Guarda Municipal de Salvador (GCM) identificou, até esse sábado (22), 1.575 crianças e distribuiu quatro mil informativos com recomendações aos responsáveis e orientações diversas sobre brincar o Carnaval com segurança.

Uma dica da Guarda é quanto ao preenchimento das informações sobre as crianças, antes mesmo de sair de casa, garantindo assim a redução de riscos para os pequenos. “Os pais ou responsáveis apenas conseguem ter tranquilidade para acompanhar a passagem dos blocos quando percebem que as crianças estão em segurança. Então, por que não garantir que o dia termine bem, antecipando a identificação?” alerta o diretor de Segurança Urbana e Prevenção à Violência da GCM, Maurício Lima.

A identificação segue acontecendo nos principais circuitos da folia e, neste domingo (23), ganha reforço no Circuito Osmar (Centro). O mais importante é que diagnosticamos que os pais estão muito mais conscientes e, ao chegar ao portal, procuram a pulseirinha de identificação para garantir a segurança dos filhos”, ressaltou o diretor da GCM.

“Acho importante colocar as pulseiras porque é mais uma segurança para a criança. Nunca perdi meus filhos no Carnaval, sempre trago as duas, mas é melhor prevenir do que remediar”, disse a cozinheira Lenivalda Batista, acompanhada, no Circuito Osmar, das filhas Milena, de 8 anos, e Letícia, de 10 anos.

Sem ocorrências – Nenhuma ocorrência de criança perdida foi registrada no Carnaval 2020. “Exatamente pelo trabalho preventivo que é desenvolvido nos grandes eventos. Mais um sinal que estamos no caminho certo, que é a prevenção”, diz Lima.

A Guarda Municipal recomenda que os pais ou responsáveis saiam às ruas portando apenas um documento com foto e mais a carteirinha do plano de saúde das crianças e dinheiro em espécie, sendo só o suficiente para brincar um dia de Carnaval. Isso porque, caso aconteça algum extravio, a família não terá prejuízos maiores.

No Carnaval do ano passado, quatro crianças foram encontradas sozinhas nos circuitos. Após serem resgatadas por agentes da Guarda, voltaram para casa em segurança, acompanhada pelos pais. “Em 2020, por força da ação preventiva e da atenção desenvolvida nas ruas, acreditamos que nenhuma criança estará perdida” acredita o diretor.

Campanha – A Prefeitura atua na distribuição de pulseirinhas nos portais de acesso e nos circuitos também através da Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre). A ação é integrante da campanha “Criança não é mão de obra”, que envolve abordagens sociais e combate ao trabalho infantil. Nos dois primeiros dias oficiais de folia, 422 pulseiras foram colocadas nos pequenos, acompanhados dos pais ou responsáveis.

A secretária da Sempre, Ana Paula Matos, afirmou que o trabalho da “turma da pulseirinha” vai muito além da entrega das pulseiras de identificação. “Aproveitamos para orientar os pais sobre medidas de segurança na folia baiana e os serviços disponibilizados pela Sempre na luta contra qualquer violação de direitos”.

Foto: Jefferson Peixoto/

Posts relacionados

Deixe um comentário

Proibido plagiar