Inicio Entretenimento Fred Dantas resgata clima dos antigos Carnavais no Rio Vermelho

Fred Dantas resgata clima dos antigos Carnavais no Rio Vermelho

Por urandionline

Fantasias, marchinhas, confete e serpentina. Foi nesse clima que o Largo da Mariquita, no Rio Vermelho, se transformou em um verdadeiro baile carnavalesco nesta tarde. É o espaço Mix, uma das novidades da folia deste ano que teve início nesta sexta (21) e que também conta com programação infantil e outras atrações de estilos variados.

Até a próxima terça-feira (26), orquestras populares e temáticas irão se apresentar gratuitamente no local, sempre às 16h. A abertura da festa foi comandada pela orquestra Fred Dantas. O maestro homônimo é um dos percursores do movimento de participação de orquestras na folia baiana. 
No repertório, canções que marcaram diferentes épocas do Carnaval. “Foi um apanhado do que fizemos nos três últimos anos, desde quando retornou esse movimento de orquestras no Carnaval”, explicou Fred Dantas.

O primeiro ato foi marcado por carnavais antigos com músicas como “Colombina eu te amei”. O segundo ato contou com frevos pernambucanos célebres, tais como “Ultimo Dia” e “Lágrima de Folião”. Clássicos da folia, a exemplo de “Chame Gente” e “Chão da Praça”, também fizeram a alegria dos foliões, em sua maioria famílias.

Diversão em família – Foi o caso da economista Cláudia Monteiro (49), que curtiu a festa junto com sua filha Clarice (9), além do amigo Diego Haase (41) e a filha dele, Olívia (9). Pela primeira vez no evento, Cláudia contou que não se interessa pelos circuitos tradicionais da folia momesca. “Aqui é mais família e um ambiente seguro para crianças”, afirmou.

Seguro e divertido. Pelo menos foi o que demonstrou o pequeno Douglas Sales (7), um dos mais animados do local. “Eu gosto muito de dançar”, justificou. Já para a professora de yoga Vitória dos Santos (59), o palco no Rio Vermelho é ideal para quem quer curtir o Carnaval com tranquilidade. “Antigamente, eu curtia muito os encontros de trio na Praça Castro Alves. Ia atrás do trio de Dodô e Osmar e Moraes Moreira, mas eu gosto muito de marchinhas e hoje não consigo mais ficar na muvuca”, pontuou.

Cultura – Nos últimos anos, a Prefeitura tem intensificado o incentivo à participação das orquestras populares e temáticas na folia carnavalesca. No Rio Vermelho, por exemplo, é o segundo ano consecutivo que os grupos ganham protagonismo nesta programação especial.

Para o presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), Isaac Edington, a diversidade é uma das características mais marcantes da festa soteropolitana e deve ser incentivada constantemente. “Fomentar ações especiais como essa que atingem diferentes públicos trazem espaços diversificados para o Carnaval de Salvador e mostram como a cidade está preparada para continuar fazendo a maior festa de rua do planeta”, ressaltou Edington.

Posts relacionados

Deixe um comentário

Proibido plagiar