Inicio Polícia Projeto da PM conquista prêmio do Conselho Nacional de Justiça

Projeto da PM conquista prêmio do Conselho Nacional de Justiça

Por urandionline
77 Visualizações

Mediar pequenos conflitos, acalmar ânimos, resgatar laços e reequilibrar relações interpessoais. Este são os objetivos do projeto desenvolvido pela 67ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/ Feira de Santana), que conquistou o prêmio na 10ª edição do ‘Prêmio Conciliar é Legal’, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). 


Desenvolvido na zona rural da cidade de Feira de Santana, Tanquinho e em São Gonçalo, a iniciativa concorreu na categoria inovação em conciliação de conflitos. O prêmio será entregue em evento que acontece no próximo dia 18 de fevereiro, em Brasília. 


O projeto entrou em vigor a pouco mais de um ano e conseguiu dissolver diversos desentendimentos entre alunos e professores, vizinhos e integrantes da comunidade, evitando que estas sobrecarregassem o sistema jurídico. “Notamos que havia uma demanda de dissolução de pequenos conflitos e assim iniciamos o projeto que foi passando por adaptações e está em contínua evolução”, revelou o major André Cavalcante, comandante da 67ª CIPM.

As formações em Direito e Psicopedagogia da tenente Maria de Fátima Pereira e da soldado Karine Dantas, respectivamente, contribuíram para o desenvolvimento do empreendimento. “Nos reunimos com os envolvidos, explicamos todo o trâmite da abertura de processo e, no final, questionamos se eles desejavam formalizar um registro na delegacia. Em todos os casos eles desistiram de prestar queixa”, contou a tenente. 

Durante a conciliação algumas etapas são primordiais. As partes realizam uma pesquisa na web para terem conhecimento sobre o assunto e identificam as questões legais envolvidas na discussão. Fazemos a leitura de um clássico nacional com o tema da briga e, após o debate, um jardim é elaborado pelos reclamantes, “para repor as energias e diluir as questões emocionais”, explicou Fátima.

A tenente detalhou ainda outro resultado positivo do projeto, também indicado para o Prêmio Boas Práticas, do Governo do Estado. “Já tivemos até pais que voltaram a estudar depois de acompanharem seus filhos em uma conciliação”, revelou a oficial.

Fonte: Ascom: Marcia Santana

0 Comente

Posts Relacionados

Deixe um comentário